por Maris Stella

11102617_810307309058032_1014498856845862466_nNão digam de novo em minha cara, mas faz tanto tempo… Meu coração não atende a calendários nem obedece à indignação ou lógica. Eu ainda estou cheia de sofrimento. Não consegues compreender, então, respeita-me apenas.

Muitas vezes, imagino sim que esta tristeza poderá ter um final. Contudo, por enquanto, o que percebo é esta porta semi-aberta para tentar sobreviver e onde guardarei os restos dos meus lutos desde aqueles dias.

Ainda que você pense que me perco em melancolias, saiba eu sinto a perda de meus filhos não apenas com um vislumbre de dor e sofrimento, tem também alegrias nessas lembranças. Não é porque não posso tocá-los agora que deixei de amá-los. Entenda, são meus filhos e, para sempre, continuarão a ser.

Se a morte não se abateu na estrada de sua existência, você ainda não sabe que esta vida se move tão rápido e que é tão frágil quanto um sopro. Não desejo à você, mas, saiba que para todas as famílias que perderam, uma vida preciosa, o amor que temos não muda com o passar do tempo e os ausentes, sempre estarão mais presentes, pois a saudade não dá muita trégua.

Por isso, digo a quem não me entende, se ainda não há respostas suficientes para substituir essa tristeza com amor, e se ainda ainda olho para cima e vejo céu, imagino minha vida feito essa lua meio claro, meio escuridão, isso lhe incomoda a suscetibilidade, afasta-te deixe-me no meu canto.

Aos meus filhotinhos amados, do fundo de minha saudade, lhes digo descansem bem agora, pois, vocês certamente mudaram a minha vida, para sempre vou me lembrar de suas presença, por causa de vocês eu posso sobreviver no meu ritmo, no meu tempo entre luz e sombra caminhando na esperança de que um dia, de alguma forma, haveremos de nos reencontrar.

Anúncios